Azeite de Oliva Espanhol Azeite de oliva espanhol

Azeite sua vida!

Voltar para a home

Denominações de origem espanholas

Como acontece com freqüência no mundo gastronômico um produto atingir tal especificidade que é impossível reproduzi-lo fora da área geográfica na qual é produzido. Em função disso, a União Européia por meio do regulamento CEE 2081/92criou as condições jurídicas necessárias para proteger as especificidades de produtos gastronômicos. Existem dois tipos de proteção: a IGP - Indicação Geográfica Protegida e DOP - Denominação de Origem Protegida. A diferença entre ambas é sutil. A DOP garante a origem do produto e um conjunto de qualidades vinculadas à região de produção. Já o IGP, ainda que vinculado a uma região específica, garante uma reputação alcançada por determinado produto. Tanto a IGP como a DOP tem o mérito de tornar mais visível ao consumidor, produtos gastronômicos com características especificas e seu consumo mais seguro.

Para que um determinado azeite de oliva possa estampar um selo de  Denominação de Origem protegida (DOP), ele deve ser procedente de uma região especifica e atender aos padrões preestabelecidos e controlados pelo seu respectivo Conselho Regulador (CR).
Um azeite de oliva com denominação de origem protegida não é necessariamente um produto melhor do que outro não certificado, mas permite esperar, mesmo para que não conhece uma marca determinada, um conjunto de características definidas, que podem ser facilmente identificadas pelo consumidor.
A primeira certificação DO para o azeite de oliva aconteceu em 1977 em Garrigues, no sul da província de Lleida e dai em diante cresceram e hoje são 12 conselhos reguladores de Denominação de Origem Protegida que amparam o azeite de oliva extravirgem da Espanha. Conheça cada um deles e a região e província onde são produzidos:
Da região de Andaluzia
• Azeite de Montes de Granada: da província de Granada
É produzido com técnicas que respeitam o meio ambiente, já que trata-se de uma região fria, de altitude considerável e portanto com pequena incidência de pragas, o que permite reduzir a utilização de defensivos. A degustação recorda azeitonas frescas, erva recém cortada, figo ou tomates verdes. É um azeite encorpado e um pouco amargo, predominando as tonalidades verdes sobre as douradas.
 
• Azeite de Sierra de Cazorla: da província de Jaén
Junto do baixo Aragón, essa é a mais nova denominação de origem espanhola. A área de produção está localizada no sudeste da província de Jaén, na Andaluzia. Cobre os azeites extra virgens feitos de azeitonas da variedade Picual, como é característico da região. Esses azeites são verde-amarelados, com um intenso sabor de fruta fresca (maça, figo ou amêndoa) e um leve amargor e ardência.
 
• Azeite de Sierra de Segura: da província de Jaén
Esse distrito fica no nordeste da província de Jaén, na Andaluzia. A denominação cobre azeites de oliva obtidos de azeitonas das variedades Picual, Verdala, Royal e Manzanillo. A azeitona é manualmente colhida e o azeite tem aromas e sabores surpreendentes e algumas vezes um tanto picantes.
 
• Azeite de Sierra Mágina: da província de Jaén
Esse distrito é localizado dentro do natural parque de mesmo nome, no sul da província de Jaén. A denominação cobre os azeites extraídos de azeitonas das variedades Picual, Manzanillo de Jaén. Esses azeites são muito estáveis, muito frutados e levemente amargos. Sua cor varia do verde brilhante ao amarelo-ouro, de acordo com o grau de amadurecimento no momento da colheita e a localização da oliveira dentro do distrito.
 
• Azeite de Baena: da província de Córdoba
Essa denominação cobre a área sudeste da província de Córdoba, e os azeites extravirgens são feitos à base de azeitonas das seguintes variedades: Picudo ou Carrasqueno de Córdoba, Lechin, Chorruo ou Jarduo, Hojiblanca e Picual. As azeitonas são colhidas manualmente ou mecanicamente. Cerca de 30% da produção dessa região é coberta por essa denominação. O azeite é frutado, com reminiscências florais, com um leve toque de amargo e excepcionalmente bem equilibrados sabores.
 
• Azeite de Priego de Córdoba: da província de Córdoba
Essa denominação cobre azeites extravirgens obtidos de Picual, Picudo e Hojiblanca do sudeste da província de Córdoba, perto dos limites com Jaén e Granada. O azeite tem um intenso aroma frutado, com insinuações de maçãs e amêndoas, um toque de amargor e uma suave ardência residual.
Da região da Cataluña
• Azeite de Garrigues: da província de Lleida
Essa denominação cobre as variedades Arbequina e Verdial. A área de produção estende-se pelo sul da província de Lerida. As azeitonas são colhidas manualmente e dão origem a dois tipos característicos de azeites dependendo do grau de amadurecimento do fruto: azeites frutados (produzido com azeitonas colhidas prematuras, originando um azeite verde com corpo e um sabor picante e que remete a amêndoas) e azeite doces (feito de azeitonas maduras, que resultam em um azeite amarelo intenso, mais fluido e de sabor mais doce).
 
• Azeite de Siurana: da província de Tarragona
Essa denominação protege azeites obtidos de azeitonas das variedades Arbequina, Royal e Morrut, que crescem em uma faixa de terra perpendicular ao Mediterrâneo, na província de Tarragona. As azeitonas são colhidas manualmente e, assim como acontece com a denominação Les Garrides, podem resultar em azeites frutados ou doces dependendo do grau de amadurecimento da fruta na colheita.
Da região da Extremadura
• Azeite de Monterrubio: da província de Badajoz
Essa denominação é elaborada com um mínimo de 90% das seguintes variedades: cornezuelo, picual e jabata. A região produtiva se situa no extremo da comunidade de Extremadura, região de invernos frios e verões escaldantes e secos. Clima apropriado para a obtenção de frutos que resultam em azeite de grande personalidade (frutado, aromático, ligeiramente amargo e picante) com uma cor amarela esverdeada e grande estabilidade e pureza (acidez inferior a 0,5º, indice de peroxido inferior a 19 e impurezas abaixo de 0,1%). A coleta é manual e feita diretamente na oliveira.
 
• Azeite de Gata-Hurdes: da província de Cárceres
Essa região cultiva oliveiras desde os tempos do Império Romano. A qualidade dos azeites é muito apreciada, sendo a comarca conhecida como o "pais do azeite de ouro". É elaborado a partir da variedade Manzanilla Cacereña. O azeite mantém o sabor  do próprio fruto, baixo ou nenhum amargor e pouco picante. A cor é amarelo ouro quando o fruto está maduro.
Da região de Aragon
• Azeite do Baixo Aragon: das províncias de Teruel e de Zaragoza
As províncias de Zaragoza e Teruel, na região de Aragón, são as áreas onde se desenvolvem os azeites extravirgens protegidos por essa denominação de origem. São extraídos da variedade Empeltre (mínimo de 80%), Arbequina e Royal. Sua cor varia entre amarelo-ouro e amarelo intenso. O sabor é frutado no início da colheita, com um leve sabor de amêndoa, sem amargor, e um leve toque de doçura e ardência.
Da Castilla-La Mancha
• Azeite de Montes de Toledo: das províncias de Ciudad Real de Toledo

A área de produção fica no centro da Espanha, na comunidade de Castilla La Mancha. Essa denominação protege os azeites extravirgens extraídos da variedade Cornicabra. É caracterizada pela grande estabilidade (devido ao alto conteúdo de polifenóis) e pela cor que varia entre verde-ouro e verde-claro. O aroma é frutado e o sabor é delicado, com um leve toque de amêndoas.

 

Azeite de Oliva Espanhol

Unión Europea - Fondo Europeo de Desarrollo Regional - Una Manera de Hacer Europa

ICEX

Space Produções